Centro Espírita Maria Magdalena

O poder da Oração

Divaldo Franco. pelo espírito de Manoel Philomeno de Miranda
do livro Reencontro com a vida, livraria Espírita Alvorada.


O cérebro, este dínamo gerador de energia psíquica, é também fonte de
exteriorização que se espraia, facultando a vitalização ou o desequilíbrio na área que
focaliza.
Externando-se através do pensamento, este se lhe torna o veículo que a
potencializa e direciona. Quanto maior for a intensidade mental da ideia, mais poderosa se
apresenta a onda em que se movimenta. Em face dessa realidade, o cultivo dos
pensamentos edificantes, pela constituição vibratória de que se reveste, estimula os
neurônios cerebrais a produzirem substâncias saudáveis e processamentos eletroquímicos,
que facilitam as sinapses e viajam pelo sistema circulatório, vitalizando as células e
auxiliando-as no processo de mitose harmônica.
Quando estão carregados de pessimismo ou malquerença, de ressentimentos e
ódios, produzem moléculas que são eliminadas pelos mesmos neurônios com alto poder
destrutivo, que perturbam as comunicações e se alojam no sistema nervoso central e no
endocrínico, afetando o de natureza imunológica, naquele indivíduo que prossegue na
emissão das mensagens tóxicas e perturbadoras, às vezes atingindo a pessoa que está na
mira da sua revolta.
O ato da oração é constituído pelo fixar dos pensamentos nobres e aspirações
superiores, produzindo ondas carregadas de amor e de harmonia que mantêm em grande
atividade os centros nervosos, que se alimentam de forças e, de imediato exteriorizam as
vibrações que atraem os bons espíritos, que acorrem para ajudar, ao tempo em que as
canalizam no rumo das Esferas superiores onde são captadas para análise imediata.
Em face do seu conteúdo especial, são potencializadas e retornam ao emissor,
proporcionando-lhe vitalização e alegria.
Pode, dessa forma, a oração ser encaminhada aos Centros espirituais de captação
para análise de conteúdo ou direcionar-se para os objetivos a que se destina.
Por isso, a oração pode ser de louvor, quando se expressa em hinos de alegria e de
homenagem ao Criador, à vida, às ocorrências existenciais; de rogativa, quando revestida
pela necessidade que pode ser socorrida pelo Divino Poder, não apenas por quem ora, assim
como em favor daquele por quem se intercede, e de gratidão, transformada em júbilo pelo
que se tem logrado ou ainda não se conseguiu…
A oração inunda de emoções superiores o ser que se lhe entrega ao ministério.
Quando é a favor do próximo, encarnado ou no plano espiritual, alcança-o como
uma onda de paz, que favorece a reflexão, o despertar da consciência para a
responsabilidade, o diminuir das aflições, ensejando o prosseguimento a partir desse
momento com diferente disposição emocional e psíquica. Mesmo quando o beneficiário
ignora o recurso que lhe é direcionado, ainda assim é alcançado pela emissão vibratória e
experimenta alteração para melhor no quadro do comportamento em que se encontra. Se
conhecedor do benefício, gerando sintonia mental, mais se robustece de recursos valiosos,
que se transformam em bem-estar, saúde e paz.

Enfermos terminais uns, portadores de doenças degenerativas outros, de distúrbios
psicológicos ou psiquiátricos diversos, quando envolvidos pelas ondas benéficas da oração,
experimentam sensações favoráveis que, se utilizadas de forma edificante, podem modificar
a situação em que se encontram, reiniciando os processos de recuperação ou de diminuição
dos seus sofrimentos.
Os desencarnados, por sua vez, sentindo-se recordados e queridos, ao captarem a
onda mental que lhes é direcionada, têm diminuídas as angústias e perturbações,
reconsiderando a situação em que se encontram e se reanimando, desse modo adquirindo
forças e valor para superarem as dificuldades que os afligem, frutos amargos da insensatez a
que se entregaram anteriormente.
A onda mental da oração cinde a densa camada da psicosfera deletéria onde
respiram aqueles a quem é enviada a mensagem de amor, e qual um raio vigoroso deixa a
claridade da sua presença e descarga de energia benéfica de que se faz portadora.
Não elimina, certamente, os débitos, nem seria justo que assim acontecesse,
também não impede o insucesso, mas oferece serenidade e confiança para o enfrentamento
dos efeitos perniciosos dos atos transatos, trabalhando em favor da mudança da paisagem,
que se nimba de diferente conteúdo propiciador de paz e de vitória que devem ser
alcançadas, a partir de então. Simultaneamente, aquele que ora se potencializa e irradia
ondas de harmonia que envolvem a tudo e a todos quantos lhe estão no campo psíquico ou
emocional.
Animais e plantas captam as ondas mentais que lhes são dirigidas, refletindo no
comportamento os efeitos saudáveis ou danosos do tipo de vibrações de que se constituem.
No momento em que a criatura humana se conscientizar do poder da oração ou do
pensamento nobre, o planeta será beneficiado pela emissão individual e coletiva de orações
para recuperá-lo após todas as agressões que tem sofrido pela imprevidência e loucura dos
seus habitantes, tornando-se abençoado reduto de regeneração, ao invés de oficina de
dolorosas provas e expiações.
O pensamento, portanto, vinculado a Deus, ao bem, ao amor, ao desejo sincero de
ajudar, eis a oração que todos podem e devem utilizar, a fim de que a felicidade se instale
por definitivo nos corações. Por isso que as formas e as fórmulas utilizadas para a oração se
fazem secundárias, sendo indispensável a intenção do orante, cujo propósito estimula o
dínamo cerebral a liberar a onda psíquica vigorosa que lhe conduzirá a aspiração.
O hábito de orar, a constância da oração, a elevação do pensamento se
transformarão em um estado especial de equilíbrio espiritual, que sustentará o ser em todas
e quaisquer ocasiões da sua existência. Isto, porque, oração é vida, e com Jesus é vida em
abundância…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.